quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Pensamentos “SEM SENTIDO”.


Cada frase dita, nada mais é do que um emaranhado de palavras, palavras que separadas nada dizem.
Suas seqüências e organização dão sentido, a cultura, a educação, a saúde, dá sentido à vida.
Posso lhe dizer milhões de palavras, mais se você não conhecer o sentido, de nada valerá.
É o sentido que te faz entender equações complexas, livros de grandes autores, poesias, músicas e até mesmo as leis.
Leis que hoje em dia não fazem muito sentido, mais talvez fizessem na época que foram criadas, ou foram criadas para evitar problemas de uma outra época passada, até porque, se nunca aconteceu, não há sentido haver tal lei.

Sentido este que nos segue, nos persegue.
Como entender uma palavra como “PAZ” se nunca houve “GUERRA”, “AMOR” se nunca sentiu “ÓDIO”, MÃE se nunca teve um “FILHO”. Essas palavras se completam, porque sem uma, a outra se anula, não havendo sentido para existir. Não há palavra para a ausência da “DOR” pois não sabemos viver sem ela, seja ela física, emocional ou espiritual. Por um breve momento temos o “ALIVIO”, mais qual seria o oposto da “DOR”? Qual a melhor palavra para usar? Qual seria o sentido dela?

Sempre há muito mais do que se mostra, nas palavras há emoções dissolvidas, sempre haverão palavras subtendidas em frases, ocultas em versos, longe da compreensão daqueles que não as sentem. Mais praqueles que vêem seus sentidos, elas não precisam se quer serem escritas, pois elas estarão lá, ocultas, mais sempre estiveram lá, e quando você chegar a entender, elas aparecerão também para você.

Existem também as embalagens que mostram mais do que na realidade são, elas são cada vez mais bonitas, coloridas, atrativas para quem as vê, mesmo que seus conteúdos sejam o oposto do que elas mostrem, elas estão ali para atrair sua atenção.
O mesmo digo dos enfeites, eles escondem algo por baixo, algo feio, ou menos belo que os próprios enfeites, por que se fossem mais bonitos que o mesmo, para que enfeitá-los? Os enfeites servem para dar boa aparência, assim como as embalagens. Então cuidado sempre que algo te chamar a atenção por sua
aparência, desconfie, análise, pois há algo que essa beleza esconde, ou que você simplesmente não vê, por estar impressionado por tamanha beleza.

Com tudo isso, ainda assim, você só se lembrará de uma palavra neste texto: “Sentido”, mais não porque ela agora faça algum sentido para você, mais sim por tantas vezes que eu a repeti, e é isso que mais me preocupa.
Nós, todos os dias somos bombardeados por milhares de informações repetidas, para que entrem em nossa cabeça, em nosso cotidiano, em nossa vida, sem ao menos pararmos para pensar sobre o assunto. Estamos absorvendo tudo que nos mostram, sem tirar conclusões próprias, estão nos educando à sua maneira, não mais apenas informando, e sim formando opiniões a partir de pequenos grupos de muito poder, que dominam uma grande massa não-pensante.
Mais o que a grande massa não sabe ainda, é que esse poder não vem do dinheiro, nem da posição ou
classe social, também não vem da profissão que você exerce, ele vem da educação, mais não a educação vendida por eles próprios, nem da que se aprende na escola, vem de uma educação que não se compra, não se vende e não se ensina, esse poder vem do PENSAMENTO PRÓPRIO.



Léo Sumar, 08-05-10

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

amor incondicional


Me destes o sol, que aquece minha pele, e a luz que da a vida.
Me deu a lua pra iluminar minha escuridão.
Me deu o arco-iris depois de um dia de tempestade.
As mais belas inspirações para ser feliz.
Me destes a arte, e a capacidade de ser o que eu quiser.
Me amou em meio as escolhas erradas que fiz.
Me perdoou quando eu não estive arrependido.
E me deu sem que eu nem mesmo precisasse pedir.
Esteve comigo quando te neguei.
Quando eu sumi você me trouxe de volta.
Quando eu cai me estendeu as mãos.
Enxugou minhas lagrimas e eu te virei as costas.
Deu sua vida para que eu pudesse viver, e da maneira mais egoista eu a disperdicei.
Estava morto e me ressucitaste e ainda assim não vivi para ti.
Me amas ainda assim, mesmo eu não tendo nada para oferecer.
Me amas mesmo eu merecendo o odio.
Estás ao meu lado, quando eu merecia a solidão.
Quando me chamou eu não quis ouvi-lo.
E ainda assim me ama.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Tempo de conquista


Escolha bem quem está ao seu lado, conforme o lugar que deseja chegar.
Nós traçamos nosso caminho através de nossas escolhas.
Ande devagar, não tenha pressa, e assim você aproveitará cada momento, pois você irá sentir falta.
Eles jamais voltarão. Acredite.
Você irá sentir falta ...
De cada vez que os olhares se cruzaram e você o desviou, sentirá falta de um olhar sincero.
De cada vez que interrompeu um abraço, sentirá falta de um abrigo, um peito amigo em que se agarrar.
De cada momento que se importou mais em estar com a razão, e perdeu tempo discutindo.

Pois se existe algo nesse mundo que é permanente é o caráter que se constrói ao longo dos anos.
O resto se conquista e é transitório.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011


“Não vá pensar que sou um dramalhão
Nem que é minha forma de auto-promoção”


Se eu me esforço muito, é pra ser alguém que não sou, talvez alguém que gostaria de ser às vezes, mas nem sempre é fácil escolher o certo. 
A inversão de valores, hoje em dia parece ser tão natural que te torna mais humano.
Optar pelo errado parece ser mais agradável a todos, o certo é tão inexplorado que amedronta.
E quando se escolhe o certo, desagrada à maioria, afinal, ninguém gosta do que não conhece. O diferente é o recluso, ou você se iguala ou o exclui.
Se tentar fazer tudo certo me torna alguém menos errado, é certo dizer que a cada acerto me distancio de mim mesmo e daqueles de quem quero me aproximar.

terça-feira, 30 de agosto de 2011


Ignorar os sentimentos não quer dizer que eles não existam.
Adormecê-los, se mantendo forte, indiferente e racional, é racionalmente estúpido.
Mascarar, só te torna apático.
Não ouvi-los, não os impedem de gritar, e é no silencio da noite que você vai ouvir.
Quando todas as luzes estiverem apagadas e sua mente cansada, é quando eles brincarão com os teus sentidos, Irão te envolver num mar de medos e receios, te cegar, te cansar, te iludir.
Eles te ignoram, assim como você os ignorou.
Brincar com os sentimentos é permitir que eles brinquem com você.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Para estar curado, basta não estar enfermo?


O retrospecto exalta a falta de coragem, o receio que é resultado da dor passada, não curada, mas cicatrizada, uma ferida indolor, mas traumatizada, que te impede de seguir em frente com os pés no chão. 
Fisicamente os passos estão firmes e seguros, mas na mente o receio faz minhas pernas bambearem e tremerem a cada passo que leva a maiores emoções, que certamente calarão a razão e fará perder o controle.
A experiência me faz questionar se realmente vale trocar a segurança e o conforto do momento por algo instável, excêntrico, egoísta e ao mesmo tempo com alto nível de entrega, de exposição e de sentimentos aflorados, que não se explica em palavras e mal se entende os motivos, mas que causam prazeres e tornam dependente de alguém, e que ao mesmo tempo conta com você para se fazer necessário e útil.
Em outras palavras, permitir-se apaixonar é aventurar-se em algo que não se sabe como irá terminar.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Lumen Luna


Por muito tempo você desviou meu olhar para a lua.
E tudo o que me atraia ainda eram seus olhos sinceros, que fugiam do alcance dos meus.
Não precisei de lábios para um beijo, cada gesto, cada olhar, cada afago superava o tempo, que me jogava contra a madrugada. 
O amanhecer era inevitável, por mais que eu não quisesse, o sol nasceria.
Foi o bastante, mas não percebi. 
Lutei com o desejo que ardia no meu peito, tentando por pra fora todo sentimento que ainda restava.
É como se a lua ousasse se separar da noite. Olhava para ela, acreditando que você faria o mesmo do outro lado, era o nosso reencontro, pelo menos dentro de mim estávamos juntos novamente.

Aprendi que toda noite tem luar
Porque toda lua reflete em um mar

quarta-feira, 15 de junho de 2011



         Um dia esperarei menos de mim, um dia em que todos os sonhos se realizarem, quanto todo vazio se preencher, quando todas as palavras forem ditas, quando todo silêncio for música, quando toda mentira for verdade, quanto tudo for nada.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Às vezes acho que não sou daqui.



O que serve para muitos, pouco serviu para mim, e eu tentei me adaptar.
Como uma mutação multipliquei inúmeras versões de mim, que nunca passaram de intenções. Arranquei toda coesão dos meus pensamentos, me transformei, era um em vários e vários em um, mas apenas em minha mente, só na minha mente, porque por fora continuava o desajustado, aquele que estava junto mas não no meio, o que não engolia o “é normal, todo mundo faz.”, que o natural para o mundo era o sem graça para mim, e a inversão de valores que se faz da vida, para mim nunca passou de uma estúpida ignorância, os prazeres que buscam não são os prazeres que ofereço e os meus caminhos não são os mais movimentados.
E com essa vontade tão volátil de ser, foi que eu continuei tentando, nessa metamorfose, achar algo onde possa ajustar minhas intenções, e a partir delas me encaixar em algo não tão mutável e ser o que quiser, não apenas o que sou.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Um monstro de intenções


Posso ter tempo o suficiente para falar, mais nunca vai ser o bastante, sempre há mais a dizer, apesar de não querer dizer mais nada.

Na vida não se tira lições, apenas erros que não devem ser repetidos, só se aprende os valores de cada escolha e quanto custa mais um erro.
Conclusões devem ser tiradas de fatos não de explicações provindas da boca.
Favores não devem ser retribuídos.
Carinhos devem ser conquistados.
Amor apenas sentido.
A amizade confiada.
Não espero muito, e se for bem pouco, que o pouco seja muita verdade.
Mordi minha língua atrás dos dentes para conter-la, mais não foi suficiente.
Segurei o semblante, trinquei os dentes, fechei meus olhos, e ainda assim não foi suficiente.

Tentei me prender dentro de mim, tentei perder a cabeça, ser humano, e sentir medo, dor, angustia, raiva, desperdicei energia em vão. Os acertos não encobrem os erros, boas ações e  bondade, não justificam nada.
Criei um monstro de intenções. 

segunda-feira, 28 de março de 2011

Monte inverno




Ouço a voz do vento a chamar pelo meu nome
E creio estar sentido a Sua presença
A minha volta
Olhei pra trás e vi meus antigos sonhos
E até chorei, e hoje sinto saudades do que falei
Lamento demais a sua falta.

Eu quero ver o sol atrás do monte
Eu quero ver o brilho que ele traz
Eu quero ouvir de novo a Sua voz!



Eu mudei, nem sinto, nem vejo as coisas como via antes
Meus amigos cresceram, mudaram, ficaram distantes
Perdoe meu choro, é sincero
Mas digo sim, que mesmo confuso, perdido
Esperas por mim
Os meus olhos fechados Te enxergam bem perto de mim
Espero Te ver nesse inverno.
Rosa de Saron

segunda-feira, 21 de março de 2011

Na veia


O sangue corre por todo corpo bombeado pelo coração que nunca para, jamais se cansa.
Faz esquentar minha face toda vez que entra em contradição com meu racional.
O coração se move por sentimentos que vem a tona, e saem de controle com uma simples fagulha de esperança, que misturada com o desejo formam a perfeita mistura de combustível e comburente, destrutivo e corrosivo, uma mistura perigosa.
O desejo alimenta a esperança que não da brecha para a razão, levam a escolhas erradas, precipitadas, que trazem conseqüências de alto valor.
Não sei o que seria mais fácil, apagar a chama ou separá-la do combustível.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Mais do que podia


Se eu pudesse escreverias todas as músicas que dizem o que queria dizer.
Todo detalhe que diminui a distancia e traz bons momentos à mente.
E com todos os inconvenientes ao meu favor eu sigo mesmo sem saber pra onde,
sem dar espaço para a indecisão, dizendo sim a quem diz não.
Não sou bom jogador, nunca tive a sorte invejada, gastei toda ela, com você.
Apostei alto, aquilo que não tinha, e ganhei mais do que podia levar para casa.
Deixei pra traz um rastro das fichas.
Perdi algo valioso, que deixei no caminho, e mesmo assim o que me restou era mais do que tinha antes.
Assim eu mudei.
Enterrei alguns sonhos imortais, pois até um soldado de chumbo sabe quando a guerra termina.
E a salva vai para um soldado que lutou um bom combate, e que hoje volta para casa, incapaz de uma nova guerra.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Desvio o olhar


As palavras de uma carta enxugaram as emoções, é mas fácil escrevê-las, dominar cada palavra, cada sentimento esboçado em um papel do que apenas olhar nos olhos.
Sua sinceridade te entregaria.
Há diálogo no silêncio, quando dois olhares se cruzam em uma fração de segundos, substituem qualquer longa conversa.
Se um fato muda tudo, imagina o que um olhar não pode fazer.
Um olhar mudaria tudo, diria tudo sem precisar de uma palavra sequer, faria entender na ausência da explicação.
A sutileza de um olhar me encanta.
Mas fecho meus olhos agora, e
 escrevo no silêncio da madrugada que não me deixa dormir, a sensibilidade e a insônia me entregam ao impulso. Ansioso para que termine o dia, mas me falta algo pra finalizá-lo, um desfecho, uma palavra, um sentimento, um olhar. 

Sem duvida um olhar. 

sábado, 5 de março de 2011

Felicidade momentânea


Uma coisa tenho que confessar que admiro no carnaval, gosto do fato de você vestir o que quiser sem importar com o que vão pensar, afinal, estarão tão ridículo quanto você.
Você pode ser o que quiser sem julgamento, ninguém vai ligar. Acho que todo mundo seria mais feliz se importasse menos com o que pensam, ou como te olham.
Só se importar com sua felicidade momentânea, e mais nada, nada de aparências. 
Mas, pensando bem, não sei não, mas carnaval é ...
Um sentimento de liberdade? Não.
Não sabem o que é ser livre de verdade.
Sei não, mas não gosto de usar máscaras, prefiro ser feliz na autenticidade, a em um personagem que não sou eu.
Eu só tento ver as piores coisas com algum ponto de vista positivo, mesmo sendo difícil achar um em algo tão destrutivo e superficial. Gosto de tirar lições, servem para formar minhas opiniões.

Em um dia tão liberal, onde não sabem o que estão fazendo, não combinaria escrever com tanta formalidade.

terça-feira, 1 de março de 2011

Subliminar


Sozinho, fecho os olhos e nascem às lágrimas, elas descem o rio até desaguar no mar cheio de sentimentos que às confundem na imensidão das águas, não sei o que ouvir, mas sei do que gostaria.
Olho o céu esperando ver o azul, mas só vejo uma cor cinza chumbo com nuvens densas.
Sei que esse vento forte trará um temporal que me prenderá aqui até que cesse.
Parado, é quando a razão se opõe a emoção que carrega consigo sentimentos e lembranças e uma esperança, que a razão não pode lutar contra, que por sua vez, se agarra somente na dor já vivida, e no medo de novamente errar. Não há certo ou errado, não há lado a escolher, os dois são convincentes demais, e não posso decidir pelos dois, pois são quase opostos, querem me enlouquecer, fico imóvel na duvida e a próxima escolha me fará dar um passo.
Mas na direção do que? Onde irão me levar?

Eu só quero ir para casa.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Adeus


Perdi mais uma noite sonhando acordado, pensando em um modo de levar meus pensamentos a você, eu errei me perdoe.
Egoísta, pensei que sentimentos bons trariam boas intenções, mas nem sempre é assim, nem sempre foi assim.
A madrugada não é a mesma sem você, o silêncio te substituiu, e substituí-lo é difícil. Eu não quero, fico eufórico só de imaginar como vai ser.
Eu não tive escolha, impotente lutei contra as lembranças, eu só queria reescrever uma nova página, queria uma gota da minha tinta no teu livro, seus cinco minutos de mim.
Evito dizer, não preciso te olhar, mas é inevitável pensar, me perder em pensamentos distorcidos, sem precedentes. 
Amar o que poderia amar, não faz mais sentido.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sem mais cortes


Como um bom fã do “tempo”, não consigo parar de falar nele, pensar nele, acreditar nele e esperar por ele.
Como uma criança que ganha um novo brinquedo, estou eu com o “tempo”, ele renova as forças e as subtraem, ele me da esperanças e me faz desacreditar, ele me revigora e me cansa também.
Não devo esperar nada dele, só esperar nele, mesmo não esperando estarei contando com ele, então, por favor, sem torturas, já me convenci que seria melhor. Porque a incerteza me faz fraquejar? É uma suplica ao meu coração.
A dor de meus braços impede de abraçar qualquer coisa que me faz bem.
Punhos fechados e dentes trincados me ajudam a suportar. Já nem escuto mais o medo, apesar dele existir.
A certeza é de um coração constante, batendo mesmo com marcas, cada marca uma historia que foi escrita com cortes sobressalentes, frágeis, mal cicatrizados, mas com muito aprendizado e com tamanho proporcional ao tempo, elas vão diminuindo conforme o tempo passa, mas é o acumulo que grita na mente, desesperado, “- sem mais cortes por favor”.


O coração calejado, a emoção abatida, mas a mente forte, dominante, racional.
Se razão e emoção andam lado a lado, minha razão estará sempre um passo a frente.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A semente do tempo.


As palavras cortam meu peito como uma foice desordenada, ceifa o campo e destrói todos bons e maus frutos, não faz divisão do que presta ou não.
A dor se torna inevitável, você tem conhecimento dela, fez tudo conhecendo os riscos, mas se atirou com velocidade o suficiente para não ter tempo de desviar a direção. É inevitável como bater de frente a uma parede rochosa, só resta fechar os olhos e esperar pela dor.
Mas ainda assim, as boas sementes germinam mesmo descuidadas, num campo de batalha, o tempo cuida para que elas cresçam, apesar do seu sádico meio de cultivo, torturante, dia a dia, matando a semente pouco a pouco dolorosamente, só existe esse meio, mas logo crescerá um novo broto, o milagre do nascimento é sempre tão lindo, gera uma nova vida e logo crescerá e dará outros frutos, que destruídos lançaram novas sementes no solo, formando um novo ciclo.

A única certeza é o tempo, posso contar com ele, pois ele passa, mas nem sempre ele esta a meu favor, e não posso controlá-lo, ele é constante, e nunca me decepciona porque aprendi a extrair o melhor dele.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

não pare.



Cada escolha te leva a uma direção, cada direção te faz andar, um passo de cada vez, você só não deve escolher ficar inerte.
Analisar, descobrir, desvendar, decidir, persistir, desistir, características de uma escolha, talvez não a melhor escolha, talvez não a pior, mas a sua, ela é sua e de mais ninguém. Se orgulhe!
Se sofrer foi por você, se sorrir, se vencer, se perder, foi por você. É a sua escolha, é a sua vida, então viva!
Aprendi a ser inconseqüente, tudo tem conseqüência, e não serei eu que vou mudar isso. Então porque me privar do que eu quero? Por que não escolher arriscar?  Não sei ate quando vou poder pagar o preço que a vida me cobra para viver.
Minha única certeza é que o tempo passa. Perfeito! Descobri minha cura, O TEMPO. Ele manda e desmanda, então já posso arriscar novamente.


Tenho tempo pra viver, então quero perdê-lo sentindo os melhores sentimentos que a vida pode me proporcionar, e os piores são apenas conseqüências que o tempo apagará depois.
 

A Janela da mente. Blak Magik is Designed by productive dreams for smashing magazine Bloggerized by Ipiet © 2008