sábado, 26 de fevereiro de 2011

Adeus


Perdi mais uma noite sonhando acordado, pensando em um modo de levar meus pensamentos a você, eu errei me perdoe.
Egoísta, pensei que sentimentos bons trariam boas intenções, mas nem sempre é assim, nem sempre foi assim.
A madrugada não é a mesma sem você, o silêncio te substituiu, e substituí-lo é difícil. Eu não quero, fico eufórico só de imaginar como vai ser.
Eu não tive escolha, impotente lutei contra as lembranças, eu só queria reescrever uma nova página, queria uma gota da minha tinta no teu livro, seus cinco minutos de mim.
Evito dizer, não preciso te olhar, mas é inevitável pensar, me perder em pensamentos distorcidos, sem precedentes. 
Amar o que poderia amar, não faz mais sentido.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sem mais cortes


Como um bom fã do “tempo”, não consigo parar de falar nele, pensar nele, acreditar nele e esperar por ele.
Como uma criança que ganha um novo brinquedo, estou eu com o “tempo”, ele renova as forças e as subtraem, ele me da esperanças e me faz desacreditar, ele me revigora e me cansa também.
Não devo esperar nada dele, só esperar nele, mesmo não esperando estarei contando com ele, então, por favor, sem torturas, já me convenci que seria melhor. Porque a incerteza me faz fraquejar? É uma suplica ao meu coração.
A dor de meus braços impede de abraçar qualquer coisa que me faz bem.
Punhos fechados e dentes trincados me ajudam a suportar. Já nem escuto mais o medo, apesar dele existir.
A certeza é de um coração constante, batendo mesmo com marcas, cada marca uma historia que foi escrita com cortes sobressalentes, frágeis, mal cicatrizados, mas com muito aprendizado e com tamanho proporcional ao tempo, elas vão diminuindo conforme o tempo passa, mas é o acumulo que grita na mente, desesperado, “- sem mais cortes por favor”.


O coração calejado, a emoção abatida, mas a mente forte, dominante, racional.
Se razão e emoção andam lado a lado, minha razão estará sempre um passo a frente.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A semente do tempo.


As palavras cortam meu peito como uma foice desordenada, ceifa o campo e destrói todos bons e maus frutos, não faz divisão do que presta ou não.
A dor se torna inevitável, você tem conhecimento dela, fez tudo conhecendo os riscos, mas se atirou com velocidade o suficiente para não ter tempo de desviar a direção. É inevitável como bater de frente a uma parede rochosa, só resta fechar os olhos e esperar pela dor.
Mas ainda assim, as boas sementes germinam mesmo descuidadas, num campo de batalha, o tempo cuida para que elas cresçam, apesar do seu sádico meio de cultivo, torturante, dia a dia, matando a semente pouco a pouco dolorosamente, só existe esse meio, mas logo crescerá um novo broto, o milagre do nascimento é sempre tão lindo, gera uma nova vida e logo crescerá e dará outros frutos, que destruídos lançaram novas sementes no solo, formando um novo ciclo.

A única certeza é o tempo, posso contar com ele, pois ele passa, mas nem sempre ele esta a meu favor, e não posso controlá-lo, ele é constante, e nunca me decepciona porque aprendi a extrair o melhor dele.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

não pare.



Cada escolha te leva a uma direção, cada direção te faz andar, um passo de cada vez, você só não deve escolher ficar inerte.
Analisar, descobrir, desvendar, decidir, persistir, desistir, características de uma escolha, talvez não a melhor escolha, talvez não a pior, mas a sua, ela é sua e de mais ninguém. Se orgulhe!
Se sofrer foi por você, se sorrir, se vencer, se perder, foi por você. É a sua escolha, é a sua vida, então viva!
Aprendi a ser inconseqüente, tudo tem conseqüência, e não serei eu que vou mudar isso. Então porque me privar do que eu quero? Por que não escolher arriscar?  Não sei ate quando vou poder pagar o preço que a vida me cobra para viver.
Minha única certeza é que o tempo passa. Perfeito! Descobri minha cura, O TEMPO. Ele manda e desmanda, então já posso arriscar novamente.


Tenho tempo pra viver, então quero perdê-lo sentindo os melhores sentimentos que a vida pode me proporcionar, e os piores são apenas conseqüências que o tempo apagará depois.
 

A Janela da mente. Blak Magik is Designed by productive dreams for smashing magazine Bloggerized by Ipiet © 2008